sábado, 9 de abril de 2011

Je t'aime.

Todas aquelas nossas canções que eu canto sem saber cantar. Todas aqueles nossos medos confessados silenciosamente um para o outro. Todas as promessas feitas, e todos os ''pra sempre'' ditos. E também, os ''até depois do pra sempre''. Você lembra? Deve lembrar. Ontem mesmo, disse isso pra mim. É em você que eu encontro bem mais que um abrigo. Bem mais que um ou dois ''te amo''; Sabe aqueles meus sonhos? Aqueles que você insistiu em saber? E aqueles seus sonhos? Aqueles seus sonhos insanos, de andar sem rumo, com teu filho tocando guitarra... Você lembra? Deve lembrar. Sabe aquele meu futuro previsto, que te contei ? É, o de viajar o mundo inteiro, e de morrer velha, sozinha? Foi isso que eu disse quando você me perguntou qual era meu sonho. E eu menti. Vou te contar agora, vou contar pra todo mundo, agora. Meu único, meu verdadeiro, e meu prevalecido sonho, era você, foi você, é você. Mas eu não sabia. Não sabia. Eu precisei te encontrar pra saber. Precisei te encontrar, pra que os meus sonhos se construissem de novo. Pra que eu pudesse montar um ''mundo perfeito'' de novo. Mas agora não só pra mim. Pra nós dois. E pra sempre. Esse, não vai se destruir. Não vai desmoronar. Eu juro.
Priscilla Martins.

Nenhum comentário:

Postar um comentário