quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Último abraço, primeiro adeus.

Seus olhos, procurando os meus. Os meus, procurando um lugar pra se esconder. O frio na barriga, as palavras fugindo. Cada gota de chuva, caindo sobre nós. Enquanto cada lágrima se segurava pra não cair no precipício do teu rosto. As pernas tremiam, assim como o resto do corpo. As palavras que saiam da minha boca, pouco a pouco te feriam, destruíam. Dava pra ver em seu olhar. O último abraço, o primeiro adeus. O ver partir daquele jeito, doeu, mais do que eu imaginava. Meu coração partia, e uma parte ia embora junto contigo, enquanto o chão desabava debaixo dos meus pés mesmo que a vontade que eu tinha naquele momento, era mesmo cair. Eu sei, em despedidas, nada é fácil, sempre há aquele aperto no coração. Inevitável. A vontade foi minha, a culpa, também. Mais acho que a dor, infelizmente, sobrou toda pra você. Arrependimento. Não por ter te deixado partir. Mais sim por não conseguir pedir que ficasse.
Priscilla Martins.

Nenhum comentário:

Postar um comentário