sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Querendo muito mais.

Tudo o que pensei, nada do que senti. Estou vazia agora, e isso é estranho. Nunca havia me sentido assim. Fria. Sem nenhum sentimento pra tampar o buraco que sobrou. Sabe-se lá o que aconteceu. Em ideias insanas e atitudes precipitadas, eu me perco em palavras, que nem sequer consigo pronunciar. Não consigo crer que o coração que estava prestes a explodir de tanto sentimento desconhecido, que nele habitava, agora não passa de um vazio imenso. Assim como um grito à beira de um precipício. E agora, quem grita, é minha alma. A única coisa que sobrou, acredito eu. Todo o timbre da voz aguda, ecoa na imensidão que resta. Agora, palavras não estão mais valendo, e os gestos, as atitudes, as iniciativas, me convencem mais, muito mais. Pois já cansei de ter que me contentar com pouco. De aceitar toda e qualquer situação. Eu quero e sei que posso ter muito mais do que tudo isso. Nem que pra isso, todos os limites sejam ultrapassados, e todas as regras, quebradas.
Priscilla Martins.

Nenhum comentário:

Postar um comentário