quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Caminhos.

Agora me encontro a frente de duas estradas. Não estou caminhando em nenhuma delas, ainda. A direita, está a '' Estrada da felicidade '' : simples, mas com curvas perigosas. O fim dela, não consigo avistar. Deve estar muito longe, e deve ser muito difícil chegar até lá. Á minha esquerda, se encontra a '' Estrada da Tristeza '' : bonita e atraente. Quase sem curvas. Mais se eu olhar bem, quase dá pra enxergar todo o escuro que se encontra no fim dela. Ainda estou parada. Indecisa. Por um momento, até penso que deve ser mais fácil andar em linha reta, lamentando por nunca chegar aonde quero. Preciso decidir, já está na hora. Não posso ficar aqui o tempo todo, sem saber o que fazer, nem aonde ir. Pensando bem, é bem melhor enfrentar curvas perigosas, ter medo de nunca chegar, mais continuar andando, sei que o final da estrada que se encontra a minha direita, é bem mais bonito do que a que se destrói a minha esquerda. Agora caminho. E não tenho medo de quanto vou demorar pra chegar; Sei que durante o caminho, flores coloridas nas esquinas das curvas fechadas, vão me acompanhar. O que não posso agora, no meio da estrada, é desistir.
Priscilla Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário