domingo, 31 de outubro de 2010

Ausencia

Silêncio. Foi o que permaneceu. A casa ficou grande demais, assim como todos os outros lugares.
Vazio, a única coisa que sobrou. O coração que se sentia até cheio demais, hoje não consegue identificar um sentimento sequer.
Ele se foi, ainda estou aqui. Sem saber no que pensar, sem saber como agir.
O tempo está passando e cada segundo se prolonga sem suas carícias. Os minutos estão acabando e já está na hora de acordar. Vou perceber que todo o sofrimento, não passou de um pesadelo ...
Priscilla Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário